Muito bom te ver aqui

9 de março de 2011

Entrevistando Elaine Barnes sobre as asas da coruja


Quero fazer um convite especial a vocês, vamos conhecer um pouco melhor a nossa amiga Elaine Barnes do Blog Nas Asas Da Coruja, por isso eu fiz essa entrevista para que ela nos conte um pouco sobre sua vida.
A entrevista será dividida em duas partes, eu poderia ter diminuído, mas achei tão interessante suas respostas que vou colocar na integra, deixando para vocês a opção de lerem ou não ate o fim.  
Aproveite para conhecer um pouquinho  melhor essa blogueira maravilhosa.
  Com vocês Elaine Barnes!  


Elaine, como você  sabe, eu não entendo nada de poemas, eu só sei que quando eu gosto , sinto que ele me tocou a alma, que  me desperta  algum tipo de sentimento, mas eu não sei expressar em palavras, e acredito que assim como eu existam muitas pessoas.
A pergunta e o seguinte, você teria alguma dica ou conselho para que não deixássemos  no seu comentário a seguinte frase (Lindo texto, bjs)  ou nisso não te incomoda?
Resp- Cada caso é um caso. Existem aqueles que você vai e deixa um comentário legal e ele volta no seu e só diz isso. Volta só pra cumprir visita. Outros são como você, não entendem muito, mas, sentem que fez bem e deixam um: Adorei! Lindo! E isso é de verdade. Incomodam-me mais os que não lêem nada e deixam só um poema deles pra você ir lá e comentar.

-Elaine me fale um pouco da sua vida.
Resp- Ontem fui uma mulher que viveu na ingenuidade absoluta e resignada, me moldando aos outros para agradar e ter afeto, morria de medo de ficar sozinha. Hoje vivo sozinha, a cada dia tento criar uma realidade melhor, ser melhor, verdadeira e honesta comigo mesma. Luto para prosperar e acabar com os paradigmas que me impedem de ter uma vida com estabilidade. Minha vida é simples e a levo com humildade reconhecendo que tenho muito a fazer ainda. Não permito que ninguém tire a paz que conquistei, assim posso me ajudar e ajudar as pessoas que se aproximam de mim. O afeto vem naturalmente porque hoje sou eu mesma.


- O que a poesia  representa em sua vida?
Resp-Creio que a ordem, colocar as idéias no lugar podendo me expressar livremente. A poesia hoje é uma das minhas melhores amigas e companheiras. Com ela não me sinto sozinha, nem sofro de solidão. Aprendi a ficar comigo mesma e acreditar que dentro de mim saem coisas boas. No passado achava que tudo que vinha de dentro era vazio e não acrescentava nada em ninguém. Com a poesia aprendi a mergulhar no inconsciente sem medo de buscar o que me pertence. 


-O que mais te inspira para fazer um poema? A dor, a tristeza, alegria?
Resp- De forma alguma tenho uma receita, às vezes estou lavando louça ou dirigindo, ou quieta pensando em outra coisa quando uma frase atravessa o caminho da minha mente, assim como: "Poeira de flor, Calcinha de vidro, Luz parida”... Frases que nunca ouvi e me intrigam, ai anoto e deixo sair. Outras são inspiradas em histórias que me contaram e pude ver o conflito. Ainda tem aquelas de simples contemplação como uma borboleta pousada na janela ou uma estrela que viram na palma da minha mão. Na verdade não sigo um estilo, nem tenho. Escrevo o que vem. Pode ser tristeza, alegria, dor... Como foi a "Dor do verbo" que escrevi com a separação do casamento da minha filha. Escrevi a dor dela que no fundo era conhecida minha também. Se o inconsciente libera por algum motivo, palavras ou frases que na hora não me fazem sentido, escrevo o que vem e depois com o tempo percebo o significado e entendo. 

-Sei que você já publicou um livro infantil, aliás, eu ainda guardo esse livro, me fale um pouco dele?
Resp- Na época trabalhava em uma escola infantil e tinha que ler historinhas quando as professoras se ausentavam, muitas eu achava sem pé nem cabeça, aí abri o canal da criatividade e comecei escrever as minhas. Lia para as crianças e a resposta era positiva. Pedia para as professoras corrigirem pra mim. Um dia estava em um evento de poesia em uma biblioteca e o dono de uma editora pra iniciantes me convidou pra ir à editora com meu material. Ele escolheu o" O Rei que Sorria" e publicou pra escolas. Isso foi em 1995.


-O que falta para você escreve outro livro? 
Resp. - Na época ganhei a noite de autógrafos na escola em que trabalhava, consegui a rádio mundial, patrocínio, uma turma de teatro representou uma parte do livro toda fantasiada. Caiu uma tempestade e mesmo assim 300 amigos lotaram o teatro, foi inesquecível, mas, acabei me desiludindo com a editora e esse mundo de vender livros .Sabotei meu sucesso e coloquei na gaveta. Não tinha maturidade para mudar minha vida na época. Hoje não penso em escrever um livro, gostaria sim, de saber escrever textos e com eles poder ajudar as mulheres a enfrentarem seus fantasmas.  Vencê-los com sabedoria e amorosidade. Acredito que conforme eu vá melhorando minha vida, isso será até natural. Por hora, não penso não.

-Porque fazer  Blog? E que ele representa hoje para você?
Resp- Foi uma amiga, Márcia Gonçalves da OCCA, que me explicou o que era.  Veio aqui em casa fazer um blog pra mim. Disse que eu tinha que colocar tudo que já tinha escrito desde 1993 nesse blog, para organizar as idéias. Como psicanalista me explicou que seria ótimo como terapia, pois, precisava trabalhar meu lado masculino e com tudo organizado eu poderia me ler e me descobrir. O trabalho me deu muito mais que isso, ganhei muitos amigos.

-Notei que você esta demorando mais tempo para colocar uma nova postagem, você esta sem inspiração ou falta de tempo?
Resp - As duas coisas. Posto agora a cada oito ou dez dias, ou reposto na sessão coruja, assim posso ir visitando aos poucos os amigos, com respeito e atenção que merecem. Nem sempre consigo, mas, quem me conhece e é amigo mesmo, entende.

-Alguém já copiou algum dos seus textos e não lhe deu créditos? Você tem medo que alguém possa copiar seus poemas e assumir autoria?
Resp - Já vi pessoas que gostaram muito e se inspiraram com o tema. Escreveram a mesma idéia em seguida de posts meus. Não me deram os créditos, mas, ficou nítido que chuparam os poemas e o transformaram com outras palavras. Olha não penso nisso, creio que o blog está no mundo e todos nós corremos o risco. Ficarei chateada é claro, mas, melhor não ficar encucando isso, rs...

Você tem varias amigas que também fazem poemas, você acha que essas amizades se afirmaram porque vocês têm a poesia em comum? Ou isso não tem nada a ver?
Resp- Fizemos amizade pelo blog sim, mas só se firmou pela sintonia e troca, porque continuamos fora, acrescentando uma na vida da outra. Quero conhecer pessoalmente muita gente legal da blogosfera ainda. Creio que acontecerá naturalmente também. Afinal, as amizades são a melhor poesia e as que fiz aqui, são versos de amorosidade que quero guardar pra sempre.


                                               


Para terminar esse bloco , escolhi  esse poema , uma tarefa que foi muito difícil pela quantidade de poemas belíssimos.   
Beijo de Panela

Na panela tem manteiga,
Leite condensado,
Chocolate amargo,
Vou fazer uma besteira!

Depois do brigadeiro pronto,
Acrescentei creme de leite;
Piquei bolachas de maizena,
E coloquei na geladeira.


Experimenta!
Vai de colherada sem problema!
Tem sabor de amor...
Com paixão verdadeira.

Derrete na boca e esquenta,
Como um beijo caliente.
Tem o “hum” da pálpebra fechada...
E o doce da língua carente.
Elaine Barnes



Os poemas aqui colocados são todos da autoria da Elaine Barnes e com a sua devida autorização 

Ajude : ALERTA DAS ABELHAS - AJA AGORA! http://corderosachoque22.blogspot.com/2011/01/silenciosamente-ao-redor-do-mundo.html

10 comentários:

ASTROTERAPIA disse...

A Elaine é uma verdadeira virginiana. Essa entrevista só me fez provar mais uma vez dos seus talentos. Adoro suas poesias e sigo seu blog nas Asas da Coruja.
Ela traz doçura, encantamento e amor em seus poemas. Adorei a entrevista foi sincera e verdadeira.

chica disse...

Gosto muito da Elaine, do que ela escreve, sempre me agrada lê-la e ver um pouco mais dela aqui foi tri!

Adorei o beijo de panela...beijos às duas,chica

claudete disse...

A Elaine nasceu poeta...até na forma de revelar o por que da sua maneira de encantar ela faz poesia, foi muito bom conhecer mais um pouco desta pessoa sensível que sabe fazer amigos e transferir , na sua modéstia, vivência para nós através do que escreve.Seus poemas são metáforas coloquiais que cativam. Obrigada, a você, Lidia por nos presentear com esta entrevista.

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Lidia
Adoro a minha grande amiga Elaine. Hoje tenho mais de setecentos seguidores, mas nunca me esqueço que ela foi uma das primeiras a me prestigiar. Aguardo sequência.
Bjux

Socorro Melo disse...

Oi, Lídia!

Adorei a entrevista. Parabéns pela iniciativa. Sou seguidotra da Elaine e já pude me deliciar com vários dos seus poemas, que são belíssimos, e muito inspirados.

Um grande abraço às duas
Socorro Melo

Valéria Russo disse...

LIDIA QUERIDA...
adorei a entrevista, é sempre bom conhecer um pouco mais das pessoas e alguém tão interessante vale a leitura..
obrigada por seu carinho sempre.
tenha dias lindos e de paz.
bjuivos no seu coração.
loba.

Andrea disse...

Parabens pela entrevista!
Adorei!!!
Bjs

Ricardo Calmon disse...

MININA LIDIA,AMEI A ENTREVISTA COM A CORUJA DA PAULICÉIA, AVÓ DE DAVID,O JÔ QUE SE CUIDE!

BZUZ GIRASSOLICOS EM CUORE TUO

VIVA LA VIE

RICARDITO,

EL NEÓFITO DE LIDIA

Mariz disse...

Querida,

Adorei a entrevista e a Elaine é simplesmente maravilhosa.

mil beijos e um fds com muitas alegrias!

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Lídia
Que bela ideia!!!
Tenho visto alguns poucos que o fizeram e nunca me decepcionei com a forma como o fizeram... a sua está bem empolgante e vou esperrar a segunda parte com atenção. Gostei muito da primeira e me vi refletida em algumas respostas... vejo que é uma comum entre blogueiros...
Abraços fraternos e excelente fim de semana.