Muito bom te ver aqui

6 de maio de 2010

Sonhos de um menino que queria ser mau!

Ele adora se fazer de mau , diz que mau e bom e que o bom e ser mau , que ser mau esta  na moda
 Ele se acha o máximo da inteligência, mas não sabe viver sem a revisão do Word.
Como um Deus ele odeia os simples mortais, e como um garoto mostra a língua e arrota na mesa na esperança que notem sua presença

Ele e mau, muito mau, ele e pior que aquele pirata que tem a perna pau e nariz de pica-pau
Mas quando o lado bom teima em parecer ele corre e faz um poema macabro, esconde a bengala do cego e diz que a culpa da mãe que não deu um cachorro quando criança,

Para mostrar que muito mau esconde a vontade de tomar Toddy e diz que quer beber teu sangue, então correr e compra um litro de groselha, e diz que odeia os ídolos dos pais

Mesmo sabendo que fumar e a coisa mais antiga e careta do mundo ele se acha o Maximo comprar dois maços de cigarro, diz que bebe para ter expiração dos poetas boêmios, mas quer mesmo e ser polemico, assim dizendo que cospe no amor, mas sonha com o romance como um adolescente,

Retruca em disser que um amor selvagem e mais seu estilo, mas na verdade a única coisa selvagem que quer e um gatinho que chama de satã, e na hora do pesadelo quer o colo da mãe. 

Menino mau, vestido de preto morre de medo que alguém veja que por debaixo da camisa preta esta a fantasia do homem aranha.
Odeia mesmo o espelho ,seu único rival na maldade, já que o espelho teima em lhe confrontar com a verdade, mostra que o menino mau na verdade esconde a carência do amor
Frustrado pela falta de carinho faz bico, e quando e descoberto revoltado diz que vai prender a respiração ate ficar roxo.

E numa birra bate os pés no chão numa dança que, mas lembra dança da chuva, e por fim diz que a culpa e minha por ter desvendado que o menino mau quer e brincar na chuva, jogar bola, correr descaso, sumir na árvore com seu estilingue, e com bolas de mamonas atacar o telhado do velho vizinho chato,e gargalhar com o barulho que as mamonas fazem descendo  telhas por telha 

Ser o herói da rua por salvar um cachorrinho das maldades do mundo, depois te tantas batalhas deitar na grama dormi olhando os desenhos das nuvens

Mas esse e seu sonho e não sua realidade vai correndo coloca tudo dentro do baú, antes que o mundo veja o quando você não e o Senhor Magnífico e sim e apenas um menino querendo ser especial, querendo ser legal, querendo ser normal
                      ______________________________________________________

Esse texto foi feito para um amigo do meu filho , um menino querendo ser homem  , e assim que te sinto e te vejo, não tenha presa de crescer e ser bom e legal rsrs


17 comentários:

Silvia C. Barbosa disse...

Todos nós (carrancudos) somos mesmo é carentes. Pessoas fortes não temem a fragilidade. Eita inspiração...
E o que dizer pra esse ser:

Vem cá que te dou um abraço!

Beijos. Mulher de sensibilidade aguçada.

Taia Assunção disse...

Sim, o carrancudos/marrentos querem colo, querem abraço, se escondem atrás de um "personagem" para não demonstrar suas carências. Mostrar-se sem ressalvas pode trazer sofrimento. Como se fosse possível esconder-se dele. Beijocas!

Aleska disse...

Gostei muito! A maioria dos garotos finge ser um cara machão mandão e bobão rss mas no fundo escondem seus sentimentos mais puros. Beijos!

Meri Pellens disse...

Muitos se tornam maus porq não receberam bondade e carinho decente para darem de volta. Cedo perceberam que ser mau atraía melhor a atenção... Obrigada por sua amizade. Bjos na alma!

Daniel Savio disse...

Afff, se soubesse que é tão bom ser criança nem esperava crescer...

Mas no final das contas, todos somos crianças, pois senão não seriamos tão infantis em destruir a nossa casa chamada Terra.

Fique com Deus, menina Lídia Ferreira.
Um abraço.

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ ANDRÉIA Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sant'Anna disse...

Olha.., faço as palavras da Silvia (acima) as minhas.., porque é verdade... quanto mais carrancudos... mais carente é!
Bjks

Bordados e Retalhos disse...

Lidia, que rtexto lindo. Na verdade um conto. Fico encantada quando vejo jovens escrevendo tão bem. Bjs

Mauro S disse...

Feito por você?
O texto está muito lindo, ninguém deve ter pressa de crescer, falando das crianças, a hora chega pra todo mundo, beijos, Mauro

Mariana disse...

Todo ser humano precisa de afeto e carinho, mas na fase da gurizada fica difícel para eles, demonstrar o quanto são frágeis.

Ballynha disse...

Oi querida, que saudades!
Não lembrava o endereço, busquei por cor rosa choque daí lembre do 'Não provoque', hehehe.

Como você vai?

Que belo texto.

Milhões de beijos, muita luz!

Socorro Melo disse...

Muito interessante esse texto, e a moral da história, ainda mais. Quantas crianças se fazem de mau,para chamarem a atenção, pois estão carentes de carinho, de atenção e até de amor.
Um abraço.
Socorro Melo

Elaine Barnes disse...

Essas couraças defensivas são colocada e usadas muito cedo para esconder as emoções e sentimentos que nunca foram notados nem admirados. Depois é preciso um trabalho bem grande,tipo aquele brinquedo 'Quebra Gelo" para quebrar as mágoas. Adorei! Montão de bjs e abraços

Tony Gifs Javas disse...

****************
*
Olá amiga(o), sou Tony Gifs Javas do Site:=> http://www.tonygifsjavas.com.br e gostaria
de informá-la sobre os novos e reformulados utilitários para Blogs e
Sites já disponível no Site, como:=> Calendários, relógios, contadores de visitas
personalizados, Link-me e Playes personalizados com fotos ou imagem e muito mais,
faça uma visita neste endereço:=> http://www.tonygifsjavas.com.br/utilitarios_blogs.htm
e conheça lindos utilitários a sua escolha. Aguardo sua breve visita para usufruir
de todos recursos gratuitamente.
*
****************

Pelos caminhos da vida. disse...

Profissão Mãe.

Uma mulher chamada Ana foi renovar sua carteira de motorista.
Pediram-lhe para informar qual era sua profissão.
Ela hesitou, sem saber como se classificar.

"O que eu pergunto é se tem algum trabalho", insistiu o funcionário.
"Claro que tenho um trabalho" exclamou Ana. "Sou mãe!"

"Nós não consideramos mãe um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente.

Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.

"Qual é a sua ocupação?" perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto. As palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora: "Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."

A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar pra o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.

Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.

"Posso perguntar" disse-me ela com novo interesse "o que faz exatamente?"

Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder: "Desenvolvo um programa de longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi quatro projetos (todas meninas).
Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda?).
O grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24)"

Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária, que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente abriu-me a porta.

Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe: uma com 13 anos, outra com 7 e outra com

Do andar de cima, pude ouvir meu novo experimento - um bebê de seis meses - testando uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante!

Maternidade... que carreira gloriosa!

Assim, as avós deviam ser chamadas Doutora-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas, as bisavós Doutora-Executiva-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas e as tias Doutora-Assistente.

Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas, companheiras, Doutoras na Arte de Fazer a Vida Melhor!

(Marcelo Dias).

Feliz dia das Mães.

beijooo.

Nathália (Ná) disse...

Passei para te desejar um Feliz Dia das Mães, com muita Paz e muito Amor.

Bjs!

ONG ALERTA disse...

Um feliz dia das mães beijo lisette.

Anônimo disse...

Me identifiquei com seu texto, muitas vezes faço-me passar por "mau" pra mostrar que estou ali, e principalmente pra mostrar que sinto falta da minha mãe, não é fácil pra uma criança de 11 anos que queria ter ela por perto mas, ela não quis me criar, moro com minha avó e nem sei quem é meu pai. Parabéns pelo texto e pelo blog.